Empreendedorismo e Microcrédito mais uma solução para Portugal

Presentemente o governo português apresenta boas noticias ao anunciar fundos para o Microcrédito. Uma solução para os desempregados, injetando estímulos à criação do próprio negócio. São alguns milhões que serão disponibilizados para iniciar uma atividade, mas existe um fator de risco para o sucesso destes fundos. Estou a falar do planeamento do tipo de negócio, setor de atividade, etc. O apoio à criação de negócios não deve ser baseada somente em dinheiro vivo, deve também ser intrinsecamente baseado em formação e instrução quanto à concepção e desenvolvimento do negócio em causa.

Além do microcrédito existem hoje outros mecanismos. Em Novembro de 2011 estive presente na feira do empreendedor no edifício da Alfândega do Porto. Algumas organizações do âmbito da perspectiva do investidor-empreendedor proporcionaram aos presentes alguns esclarecimentos interessantes. Este tipo de eventos devia ser mais recorrente na nossa sociedade, porque divulgam informação pertinente a qualquer empreendedor, a qualquer criação de negócio. Um bom exemplo na ajuda à criação do próprio negócio é o projeto GAIAFINICIA. Um sucesso no apoio à criação de negócios. Uma boa relação entre organizações politicas, económicas e sociais. Portugal precisa mais deste tipo de iniciativas.

Um projeto desta natureza de financiamento da economia surtiria efeitos mais positivos se tivesse maior dimensão de dinheiro, mas compreende-se dado o contexto orçamental. A relação entre poder público e poder privado deve ser o mais saudável possível para agilizar o funcionamento dos mesmos.  O governo deve ajudar rapidamente na desburocratização dos processos. Assim como impera-se fundamental uma justiça mais eficiente para a rápida resolução dos processos do âmbito jurídico. A economia portuguesa precisa de liquidez, mas precisa ainda mais de tirar os proveitos do investimento feito na educação auxiliando o conhecimento gerado nas Universidades.

O Microcrédito é uma ferramenta importante para a criação de emprego, estimulando a iniciativa pessoal à criação de algo. Portugal tem vivido tempos acomodados. Este não é um bom caminho. Porque é que os governantes dão dinheiro para a pessoas não fazerem nada. A iniciativa individual como o empreendedorismo deve ser valorizada e estimulada.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s